Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2010

Por que um presidente popular precisa de cartório?

Obras de um governo nunca são de um governo. Nenhum governo consegue ser único. E se fosse coerente o próprio presidente admitiria isso, se fosse coerente e honesto.


Lula segue sendo mais um inflacionado pelo poder.


Mas Lula quer um tipo de País que esconde roubos e corrupção praticados na mesa ao lado daquela que o governante ocupa.


Precisa de cartório porque fará dos cartórios, palanque.


 "Todo registro público é aparência", escreveu Eric Hobsbawn no livro "Era dos Extremos".


Lula é o governante mais popular da história do País e, também, o político que mais despolitizou o País.


Dilma não será muito melhor. Esperança, alguma, somente na eleição de 2014. Se houver.

O retorno do gerentão de metalúrgica. Ele esquece que não está acima de nada

A resposta irritada a um repórter no Maranhão, onde foi visitar o clã Sarney, mostrou a fraqueza de Lula .
A notícia diz: "O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficou profundamente irritado nesta terça-feira, 30, em Estreito (MA) com uma pergunta da imprensa sobre sua relação com a oligarquia Sarney no Maranhão. "Se você tiver que fazer algum protesto você vai para o Amapá, porque foi lá que o povo elegeu Sarney. E vai para São Paulo, porque o povo elegeu Tiririca. Na medida que a pessoa é eleita e toma posse, ela passa a ser uma instituição e tem que ser respeitada", afirmou, dirigindo-se ao repórter."

Bem burguês e bem na linha do agora eu sou a instituição.

O lutador Maguila também passou por isso. De repente, dizia a palavra rankeado como se fosse a última maravilha do universo.

Lula é o que é, gerentão de metalúrgica.

O exército virará salvação nacional?

As escaramuças militares x traficantes no Rio promovem o jogo de aparências que ainda não conseguimos delimitar a quem interessa plenamente. E no conjunto, como ficaremos? O crime se organizará num nível pré-militar? Tipo: até tal nível pode. Então o exército virará salvação nacional?

Para 45% dos internautas brasileiros, redes sociais substituem portais de notícias

O fato: a busca de informação mudou o jeito de navegar na internet. Na verdade, a informação navega até as pessoas.


O texto abaixo, do portal Comunique-se, ajuda a entender esse fenômeno:
Uma pesquisa realizada pelo Ibope Mídia revela que 45% dos internautas brasileiros consideram que as redes sociais substituem as informações dos portais de notícias. Para 60%, as redes sociais oferecem toda a informação necessária para se manter atualizado. O estudo “Many-to-many- o fenômeno das redes sociais no Brasil” foi feito em setembro e divulgado na última semana. O Ibope ouviu mais de oito mil pessoas, em onze regiões metropolitanas do Brasil.


Otimização de tempo
Para Juliana Sawaia, gerente de Inteligência de Mercado do Ibope Mídia, o resultado não vai contra os portais, já que muitas das informações transmitidas pelas redes partem dos próprios sites noticiosos. “A maioria das matérias postadas nas redes são provenientes de algum outro site, portais, blogs, fóruns etc, e muitos veículos de comun…

Petrobras quer mudar regras de distribuição do dinheiro do pré-sal

da Folha Online de hoje
Grande vitoriosa na elaboração do marco regulatório do pré-sal, a Petrobras gostaria de mudar pelo menos três pontos nas novas regras de distribuição dos royalties informa os repórteres Valdo Cruz e Humberto Medina.
Dois deles coincidem com queixas das empresas privadas do setor: o poder de veto da futura Petro-Sal nas decisões sobre a administração dos campos do pré-sal e a proibição de descontar o pagamento de royalties no cálculo dos custos que definem o lucro a ser transferido para a União. Veja a íntegra do marco regulatório Entenda o que é a camada pré-sal
O terceiro contempla em parte outra reivindicação das petrolíferas estrangeiras: a escolha da Petrobras como operadora única do pré-sal. A estatal propôs e defende a regra, mas gostaria do direito de repassar a outra empresa alguns campos caso considere mais adequado economicamente.
Projetos
O governo apresentou na semana passada os quatro projetos enviados ao Congresso para tratar do novo marco regulatório do…

E de novo o presidente da República precisa dar explicações

Pela terceira vez desde que transcorreram as eleições o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, se vê na obrigação de dar explicações.
CPMF, ENEM e agora o empréstimo ao Banco Panamericano, do empresário da comunicação e venda de felicidade, Senhor Abravanel, o Silvio Santos.
É muito pouco tempo para surgir fumaça em tantas frentes problemáticas para um presidente da República.
E o que dizer do fato de o governo Lula usar Medida Provisória para criar uma estatal para cavar buracos nas barrancas do rio São Francisco. Fato ainda pouco claro. Mas que terá implicações nas contas públicas, pois deve consumir 24 bilhões de reais.
Agora, precisa dizer que não fez aquilo que a fumaça diz que pode ter feito.
Para nós, mortais, sempre valerá o dito, onde há fumaça há fogo.
Tanto mais que há coisas a explicar, como bem nota o editorial do Estadão de Hoje na página A3: “A fraude do Panamericano só foi detectada há pouco mais de um mês por auditores do Banco Central (BC). Os técnicos do BC c…

O sonho que virou sucata

Esta notícia é antiga, mas serve como um bom lembrete de que debates e promessas são o que são, palavras.
Um carro que não polui, não faz barulho, extremamente econômico e que pode ser abastecido em casa. Parece um sonho de alguns ambientalistas. Não é, é realidade. Ou melhor, foi realidade. Esse carro existiu, foi comercialmente vendido, mas, sem alguma explicação convincente, foi transformado em sucata pela própria concessionária que o desenvolveu.


A história completa em:  http://planetasustentavel.abril.com.br/

Pessoas vistas como deuses, a distorção da realidade

Se você projeta num astro de futebol, na Dilma ou no Lula soluções e feitos mágicos, atenção. Você pode estar mais próximo de uma distorção psicológica do que uma opção inteligente diante da vida e do mundo.


Rigidez mental e corporal. Sentimentos intensos de inferioridade. São, geralmente, traços de personalidade de gente que vê outras pessoas como deuses. O senhor presidente da República do Brasil, Lula da Silva, tem muitos desses traços mas conseguiu fazer com que alimentassem seu sonho pessoal de poder. Por isso, sua biografia merece respeito, mas apenas como ser humano. Como presidente, seus desacertos e até sua incultura o levaram a patéticas demonstrações de um egoismo e vaidade sem autoconsciência.


São questões ligadas ao ser. Nenhum governo resolve isso.


Se quiser saber mais, leia um livrinho antigo que pode ser achado facilmente nos bons sebos. Trata-se de "A personalidade limítrofe", de Nathan Schwartz-Salant, de 1988. Lá na página 97 ele diz: "A pessoa limítrofe…

Velhas mentiras e novas verdades

O poeta Mário Quintana escreveu: "para isso talvez existam as novas gerações, para sustentar velhas mentiras, porque velhas mentiras sempre parecerão ser novas verdades".


Velhas práticas empregam novas mentiras. E a cada vez que Lula da Silva esbraveja, a cada vez que ele encena sua eterna irritação, a cada mentira bem-cuidada que ele burila para nosso consumo iludido surge uma novíssima verdade, que só ele não percebe.

O acesso da criança ao universo simbólico

Está nas bancas a revista Educação, toda dedicada a Lacan.
Quem tiver paciência lerá tópicos interessantes, como este: "O maior desafio da formação do ser humano será a liberação dos laços com a mãe".
Ou ainda este: "A metáfora paterna tem uma função estruturante, ela inaugura o acesso da criança ao simbólico".
Na página 70 está um trecho que talvez motive a leitura da obra de Lacan: "Creio que ao longo desse período histórico, o desejo do homem, longamente anestesiado, adormecido pelos moralistas, domesticados pelos educadores, traídos pelas academias (universidades), simplesmente refugiou-se, recalcou-se na paixão mais cega...a paixão do saber. Confira:Saber versus conhecimento

Bolsa-família é o conceito de sucesso da miséria

Problema de origem. Se um programa somente tem entrada, logo logo criará vícios.

Não é possível que uma política de governo seja decidida dessa forma.

Que haja um programa como esse, é uma necessidade do Brasil que tardiamente chega à realidade.

Mas chega sem critérios. Depois de quanto tempo perde validade ou dá lugar a outra pessoa?

Que tipo de orientação, estímulo a um melhor preparo e reciclagem um bolsa-familiano terá?

Sem sim, haverá ainda mais pobre tempos depois, é como funciona o sucesso da miséria.