Avançar para o conteúdo principal

Nova Zelândia, um dos paises mais propícios para se abrir negócios, trabalhar, educar, viver. E (fala baixo) sem bandalheira.

Você deve estar acostumado a sonhar. Sonhar com um serviço de ônibus que leve e traga você como ser humano e não como cavalo fujão ou boi burrão. 

Você talvez sonhe em andar por ruas e avenidas e encontrar as calçadas limpas, o trajeto desimpedido, os pontos de ônibus abrigados. Ah! mas você sonha mais, você sonha com aquelas coisas que não existem em lugar nenhum, certo?

Errado, há coisas que existem (com o perdão da expressão) e funcionam mas que você somente encontrará na ... Nova Zelândia.

Então, vamos dar um pulo até lá. É sonho, mesmo, não é?

Há critérios técnicos que explicam por que esse é o melhor país do mundo para se realizar negócios, pura e simplesmente isso, negócios, abrir uma loja, conseguir um habite-se sem ter de encher o bolso de funcionários públicos corruptos, obter alvarás em tempo normal (no Brasil achamos normal qualquer coisa como 60 dias, para outras coisas achamos normal 244 dias). Temos até quem acredite em avaliação de cem dias de governo.

Os critérios satisfazem as teorias econômicas vigentes e até mesmo as teorias que subvertem as teorias econômicas vigentes, ainda que sem produzir resultados interessantes.

Primeiro em inglês, para mostrar como a Nova Zelândia retrata a si mesma, com dados extraídos do portal  
http://business.newzealand.com/Economy.aspx

Doing business in New Zealand

"New Zealand is a very straightforward place to do business.

The World Bank recently rated New Zealand as the easiest country to start a business and the second easiest in which to do business, in its Doing Business in 2010 report.
The report tracks a set of regulatory indicators related to business start-up, operation, trade, payment of taxes, and closure by measuring the time and cost associated with various government requirements. 

For more information see the World Bank Doing Business website. In 2008, Transparency International ranked New Zealand alongside Sweden and Denmark as the least corrupt nation in the world, using its Corruption Perception Index (CPI). The CPI ranks countries in the order of which corruption is perceived to exist among public officials and politicians. 

For more information see the Transparency International 2008 survey. Our labour market is famed for being flexible and deregulated, with a highly educated and multi-skilled workforce. New Zealand has sophisticated telecommunications links with the world, excellent export networks and outstanding ports, and strong domestic and international airlines".


Tradução direta:

A Nova Zelândia é um país que simplifica o mundo dos negócios. O Banco Mundial, no seu relatório de 2010, classificou a Nova Zelândia como o melhor país do mundo para abrir um negócio e o segundo melhor país em termos de ambiente empresarial.

Para isso, o Banco levou em conta o seguinte conjunto de fatores: facilidade para iniciar as operações, ambiente de comércio, pagamento de impostos e fatores de desempenho ligados a tempo e custos causados por obrigações legais.

Em 2008, segundo apontamento de uma entidade internacional, a Transparência Internacional, a Nova Zelândia apareceu ao lado de Suécia e Dinamarca como os países menos corruptos do planeta.

O país orgulha-se de ter mão-de-obra altamente educada e multifuncional, que atende padrões flexíveis de produção, a partir de um sistema moderno de comunicação e de infraestrutura.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

O complexo de Édipo na política brasileira

Por Nelson Prado Rocchi

Uma introdução ao Complexo de Édipo aplicado à política. Publiquei este texto antes do impeachment da Dilma. A Lava Jato ainda não existia e nem havia estourado o Petrolão.

Advogo aqui em favor de um fenômeno, o restabelecimento da Lei do Pai, uma lei psicológica que governa os humanos acima e abaixo das racionalizações, vigendo (vigorando) desde muito antes do surgimento das Constituições Nacionais trazidas no bojos dos movimentos fundantes, como as Revoluções Americana e Francesa.


VIOLÊNCIA CAÓTICA - ÉDIPO - LEI DO PAI - PACTO SOCIAL

Nosso primeiro amor foi nossa mãe. Ela foi nossa Deusa. O menino, para seu desgosto, ao redor dos 2 anos, descobre que existem dois sexos e que ele é um menino, alguém como o pai. Ele não pertence ao gênero sexual da Deusa, ele é de um gênero inferior.

Homens passam a vida querendo pegar, apalpar o corpo das mulheres, substitutas da Deusa perdida. A identificação do menino com o pai nessa idade ajuda o menino a escapar do poder avassa…

A farsa do pré-sal

Publiquei os textos abaixo há seis anos. Seguem reproduzidos agora por causa da nova formatação do blog que fez sumir as páginas existentes. Publicar agora pode perfeitamente servir de alerta pois já nem se ouve falar em pré-sal quase às vésperas da próxima eleição.
Brasil explora pré-sal desde os anos 50
Novembro de 2011
Texto de Miriam Leitão.

"O Brasil descobriu petróleo no pré-sal nos anos 50 e já o explora há décadas. O que houve agora foi a descoberta de grandes reservas, mas nem todo produto é de boa qualidade. A produção iniciada em Tupi é mínima perto do total extraído no Brasil. Principalmente é falsa a ideia de que o pré-sal é a solução mágica que garante o futuro. O governo faz confusão proposital quando o assunto é petróleo.

Primeira descoberta foi em 1957

A excessiva politização do tema está criando mitos e passando para o país a ideia de que agora ganhamos na loteria, um bilhete premiado, que vai produzir dinheiro abundante que resolverá todos os nossos problemas. Isso …

O Jair que existe e o que não existe

Estou há semanas querendo tocar em assuntos que não são exatamente sobre política, mas sobre comportamento. Infelizmente vivemos uma era onde achar alguma coisa ofende, não concordar com os intelectuais do Projac te exclui de muita coisa e não ser uma samambaia te prejudica com anunciantes. Enfim, foda-se.

Eu quero falar sobre Jair Bolsonaro.
Antes de mais nada, para validar minha opinião com os psicopatas, devo registrar que meu voto no primeiro turno será em João Amoedo. É o candidato que me identifico mais com as idéias e propostas. Ponto final.
Ah mas então você não vota no Bolsonaro? Voto, claro que voto. No segundo turno contra PT, PSDB, Marina, Ciro, Boulos… voto fácil.
E não, não voto cheio de dedos ou vergonha do que vilão que a mídia criou, nem do super-herói que outros esperam.

O Brasil é um garotinho perdido sem identidade, sem coragem e sem noção. Todo garoto assim quer um super herói para ajuda-lo, não um caminho longo para seguir. Jair é o herói de muita gente, como Lula f…