Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2011

Comunhão de massa e a necessidade de buscar a diferença

A ideia expressa no título não é minha. Vários autores, antigos e modernos, já a esboçaram de modos diversos sob perspectivas variadas. Mas vou citar Jean-Marie Guéhenno por seu livro "O futuro da liberdade", que tem como subtítulo "A democracia no mundo globalizado".
Guéhenno traça um bom resumo de como o livro, beneficiado pela invenção de Gutenberg, tornou-se um instrumento de democratização pelo mundo afora. Antes, o monopólio do papel na mão da Igreja fazia com que o saber fosse manipulado segundo os interesses da Igreja. Não é à toa, digo eu, que a Igreja sempre perdoa alguém depois de 200 anos, por que todo mundo que testemunhou o autoritarismo religioso já está morto.


Guéhenno também faz um interessante paralelo entre o inglês e o latim versus todos os dialetos do mundo.


O latim serviu desde o princípio a uma certa mística religiosa. 
O trecho a seguir está na página 120: 
"A invenção da imprensa acabou com essa situação: o livro fez com que os clérigos per…

Como um animal virou uma praga e como os humanos podem viver bem assim mesmo

Imagem
 Wellington, a Capital. Abaixo, um recanto natural sempre associado aos mais lindos lábios humanos

Possum é o nome de um pequeno mamífero levado da Austrália para a Nova Zelândia. Resultado: o bichinho adaptou-se bem demais à região e passou a devorar a vegetação nativa, numa dose comparável apenas ao grau de destruição  da floresta feita pelo bicho-homem.
Com isso, os nativos viraram caçadores numa terra onde não existem animais de caça.

Terra da Grande Nuvem Branca. A expressão vem dos povos maoris, que primeiro chegaram lá, se é que chegaram. A Nova Zelândia é uma ilha lá para os lados da Austrália, mas num vôo polar, partindo de Buenos Aires, chega-se lá mais ou menos no mesmo tempo em que se vai de São Paulo a Recife. É também chamado de o País do Fim do Mundo por que fica a uma hora de uma linha imaginária que delimita a noção de tempo e da nossa infinita ignorância.


Pois nesse país leva-se um dia para abrir um negócio com apenas um procedimento administrativo. A lógica…