Índice Geral de Lesmas Lerdas foi o que mais cresceu no país

Hoje é um dia muito especial aqui na terra. Não tem lá grande coisa como novidade. De fato, mudaram as moscas. A lesma lerda é que sobrevive, e bem.

Por toda a parte há agora um jeito Vaza-Barris de ser no Brasil.

A avenida Brasil até parece moderníssima, não fossem os cabos telefônicos do tipo gato, a ligação de água do tipo por baixo do muro, o computador bonito e limitado e o carro bonito endividado até o pescoço, na porta do barraco.

Lula não consegue fazer desaparecer barracos. Mas qual o problema? Basta que ele convença o cidadão que mora em barraco que coloque um carro endividadíssimo na porta do barraco, e pronto.

Depois, quando o banco levar o carro por falta de pagamento é só culpar o sistema financeiro. E Lula ainda sairá de santo.

Um único nome não pode ser culpado pela lesma lerda que nos governa. A lesma lerda tem essa característica, chame-se Dilma ou Lula.

Ah! sim. Temos o STF. E finalmente temos um presidente da República moral, Joaquim Barbosa. Mas alguém se lembra de que ele tem sido vítima de uma campanha racista por agir como juiz? E uma campanha de gente petista, do partido e de fora desse partido quadrilheiro.

É pouco. “Triste o país que depende de um líder”, escreveu há mais de 50 anos o alemão marxista Bertolt Brechet. Lula apenas confirma essa máxima, assim como confirma o atraso cultural vigente no Brasil.

Nos últimos dez anos o Índice Geral de Lesmas Lerdas foi o que mais cresceu no país. Aos poucos vamos nos transformando na região mais desinformada do planeta.


Já tinha o texto pronto desde ontem. Então li o texto abaixo. Deixo aqui para sua leitura, é mais sério, e não chama Lula de merda lenta ou de lesma lerda, o que dá no mesmo:

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2012/10/14/os-com-moral-por-mary-zaidan-470196.asp#.UHrXX0L6dww.twitter