Ou virulência

Decididamente, 50 tons daquilo é uma contaminação.

Comentários

Lucas Echimenco disse…
Um livro encontra um "caldo de cultura", como se dizia antigamente. Mas um livro não faz o caldo de cultura. Que estranho caminho nos dias atuais, repetindo o rito do romance cor-de-rosa no século 19. Ainda tenho frescas na memória as cenas de pessoas carregando "O nome da rosa", de Umberto Eco, debaixo do braço, isso nos anos 80. Ninguém lia, é livro erudito e pesado, era só para mostrar. Hoje, é o contrário. Carregam para ler mesmo, como se aquela coisa antiga feita de 50 porcarias em série fosse a última palavra em comportamento. Mas na hora da cama, saí debaixo.