Avançar para o conteúdo principal

A ironia que festeja a liberdade de expressão de um povo. A tradução está embaixo




Se houver problemas na reprodução, tente este link:
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=tEdDg-a4qhk#at=32


Même pas peur

O título (uma expressão infantil, de criança que morre de medo mas posa de corajosa) diz "Sem medo mesmo". Sua colocação numa canção adulta realça a jovialidade, a alegria, também emoldura uma atitude de crítica mas que não busca o confronto violento. Todas as letras de Patrick vão nessa linha, incluída a já famosa "Ah si tu pouvais fermer ta gueule" (Ah se você pudesse calar a boca) que foi muito usada no youtube em referência bem direta ao vice-príncipe de Andorra e ex-presidente da França Nicolas Zarkozy.


Je suis le fou à clochettes  // Sou louco de pedra
Je suis le bouffon du roi    // Sou o bobo da corte
Je ne sais que faire la fête  // Sei lá de quem é a festa
Je ne sais pas marcher droit  // Eu não sei andar certinho

Et je me moque des princes   // Eu gozo os príncipes
Des marquis, des courtisans   // Os marqueses, os cortesãos
Qui se gavent et qui se rincent  // Que deitam e rolam
Sur le dos des pauvres gens    // à custa dos coitados

Et j’emmerde les duchesses   // Eu aborreço as duquesas
Je monte sur les tables     // Eu subo em suas mesas
Et je fais voir mes fesses    // E mostro as minhas nádegas
Aux banquets des notables    // Nos banquetes dos notáveis

Et j’emmerde le roi              // Eu aborreço o rei
Le roi et ses ministres       // O rei e seus ministros
Et je n’ai qu’une loi         // Eu tenho uma lei de vida
Eviter d’être triste            //Evitar ser triste

Ils m’ont promis 100 fois   // Já prometeram cem vezes
La corde pour me pendre // A corda para me pendurar (forca)
Mais il n’y a qu’à moi       // Mas não sou o único
Que j’ai des comptes à rendre // Que precisa prestar contas

Et j’emmerde le roi             // Eu aborreço o rei
Sa garde nationale           // E sua guarda nacional
Qui a prédit de moi          // Que já avisou (sobre mim)
Que je finirai mal         // Que acabarei mal (na guilhotina)
Et même pas peur, même pas peur  //  E sem medo mesmo

J’ai choisi mon chemin       // Escolhi o meu caminho
Et je veux être libre          // Viver e ser livre
Même pas peur, même pas peur   // E sem medo  mesmo, e sem medo mesmo ...

J’ai choisi mon destin          // Escolhi o meu caminho
On ne meurt que de vivre    // É de viver que a gente morre

Je suis le fou à clochettes    // Sou o louco de pedra
Je suis le bouffon du roi       // Sou o bobo da corte
J’ai le délire dans la tête      // Eu sou o delírio mental
Je peux faire n’importe quoi   // Eu faço não importa o quê
Et je me moque des comtes     // Eu gozo os condes
Des barons, des lèche-bottes   // os barões, os lambe-botas
Qui se régalent sans honte       //Que se regalam sem limites
Sans jamais penser aux autres // Sem pensar nos outros

Et j’emmerde les duchesses   // Eu aborreço as duquesas
Je monte sur les tables  // Subo em suas mesas
Et je fais voir mes fesses  // Mostro minhas nádegas
Aux banquets des notables  //Nos banquetes do notáveis

Et j’emmerde le roi  // Eu aborreço o rei
Le roi qui se pavane    // O rei que se pavonea todo
Qu’est qu’on ne ferait pas // O que é que não faria
Pour plaire aux courtisanes// Pelo bajular das cortesãs

Ils m’ont promis 100 fois // Já me prometeram 100 vezes
La corde pour me pendre // A corda pra mim
Mais il n’y a qu’à moi   // Mas não sou o único
Que j’ai des comptes à rendre  // A ter de prestar contas

Et j’emmerde le roi  // Eu aborreço o rei
La cour qui se prosterne  // e a corte que se curva
Faudra bien plus que ça // Precisarão de muito mais que isso
Pour qu’un jour je la ferme //Para me fecharem (a boca)

Et même pas peur, même pas peur //E vou sem medo mesmo/ 
sem medo mesmo, sem medo mesmo

J’ai choisi mon chemin //escolhi o meu caminho
Et je veux être libre  // Ser livre

Même pas peur, même pas peur //E sem medo mesmo...
J’ai choisi mon destin   // Escolhi o meu caminho
On ne meurt que de vivre // Ninguém morre sem viver

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Levantar a ponta do véu da saúde mostra que a noiva está sem calcinha

Por Alexandre Graviloff

A falta de dinheiro para a Saúde é gritante. O que o Brasil investe não sustenta um sistema complexo como o SUS. Mas a falta de grana, por mais grave que seja, não é a mais importante. Quase nenhum sistema de Saúde tem boa gestão. Se o orçamento da Saúde dobrar, assim, na maior, de hoje para amanhã, da forma como o sistema funciona hoje, haverá desperdício. O Brasil vai jogar dinheiro fora. 
Os governantes iriam construir um monte de hospital. Isso não resolve o problema. Precisamos de mais grana, mas antes precisamos saber como usar bem essa grana. Enquanto não tivermos um sistema de atenção primária funcionando adequadamente, o diagnóstico dos hipertensos e diabéticos continuará a ser feito apenas quando ele chega a uma emergência. É uma irracionalidade porque isso é pior para o paciente e mais caro para o sistema. 
Outro grande problema da administração direta é a área de recursos humanos. Tem gente imbecil que acha que o problema é salário. Aí aumenta o salári…

O complexo de Édipo na política brasileira

Por Nelson Prado Rocchi

Uma introdução ao Complexo de Édipo aplicado à política. Publiquei este texto antes do impeachment da Dilma. A Lava Jato ainda não existia e nem havia estourado o Petrolão.

Advogo aqui em favor de um fenômeno, o restabelecimento da Lei do Pai, uma lei psicológica que governa os humanos acima e abaixo das racionalizações, vigendo (vigorando) desde muito antes do surgimento das Constituições Nacionais trazidas no bojos dos movimentos fundantes, como as Revoluções Americana e Francesa.


VIOLÊNCIA CAÓTICA - ÉDIPO - LEI DO PAI - PACTO SOCIAL

Nosso primeiro amor foi nossa mãe. Ela foi nossa Deusa. O menino, para seu desgosto, ao redor dos 2 anos, descobre que existem dois sexos e que ele é um menino, alguém como o pai. Ele não pertence ao gênero sexual da Deusa, ele é de um gênero inferior.

Homens passam a vida querendo pegar, apalpar o corpo das mulheres, substitutas da Deusa perdida. A identificação do menino com o pai nessa idade ajuda o menino a escapar do poder avassa…

A farsa do pré-sal

Publiquei os textos abaixo há seis anos. Seguem reproduzidos agora por causa da nova formatação do blog que fez sumir as páginas existentes. Publicar agora pode perfeitamente servir de alerta pois já nem se ouve falar em pré-sal quase às vésperas da próxima eleição.
Brasil explora pré-sal desde os anos 50
Novembro de 2011
Texto de Miriam Leitão.

"O Brasil descobriu petróleo no pré-sal nos anos 50 e já o explora há décadas. O que houve agora foi a descoberta de grandes reservas, mas nem todo produto é de boa qualidade. A produção iniciada em Tupi é mínima perto do total extraído no Brasil. Principalmente é falsa a ideia de que o pré-sal é a solução mágica que garante o futuro. O governo faz confusão proposital quando o assunto é petróleo.

Primeira descoberta foi em 1957

A excessiva politização do tema está criando mitos e passando para o país a ideia de que agora ganhamos na loteria, um bilhete premiado, que vai produzir dinheiro abundante que resolverá todos os nossos problemas. Isso …