Agora, Barroso é um ponto fora da curva

Cadê o ponto?
A mesma lógica usada para o mensalão


Aécio Neves disse com precisão: "Dilma escolheu fazer um discurso que reproduz o tradicional jeitinho de fazer política no Brasil: empurrando os problemas para debaixo do tapete, fingindo que não tem nada a ver com o que está acontecendo, que é tudo responsabilidade dos outros, que só não fez melhor porque não foi permitido".

Em 2008, quando justificou o mensalão, o ministro Cardozo usou a mesma lógica. Dias atrás, Barroso, o novo indicado ao STF, repetiu a lógica ao dizer que mensalão foi um ponto fora da curva.

Agora, Barroso é um ponto fora da curva.

Comentários