PT e PCC, o estranho, perigoso e mesmo modo de agir, com foco no STF.


Os desavisados nunca foram um bom modelo de santidade. Geralmente, é o contrário. Quando a história toda é contada, ainda que leve um século, os desavisados são aqueles que fizeram o caminho do despiste, do jogo cúmplice de palavras na linha do “se eu estivesse lá também tinha roubado, e muito mais”, resultando num jogo de cumplicidades, feito de favores de um lado, do tipo bolsa-esmola, e de silêncio miúdo do outro. 

Surge assim um "caldo de cultura" em que a esperteza prevalece, buscando jogar com as contradições dos interesses de grupos. Move-se uma pedra aqui para deslocar o quadro em São Paulo, move-se outra ali para jogar um partido contra o outro, outra mais acolá para acobertar falcatruas de roses e de outras meretrizes.

Lembram o que disse o ministro da Justiça do PT, em 2008? Ele disse que o mensalão existiu e era fruto da "cultura política do país, algo que sempre existiu".


Mas ele não lembrou que o PT montou seu palanque eleitoral prometendo acabar com isso ou no mínimo lutar para acabar com isso. Mas não foi o que se viu. Montados numa história que eles chamam de democrática, os participantes da guerrilha dos anos 70 conceberam e colocaram em prática um novo jogo de manutenção do poder, o mensalão. 

No passado, eles queriam impor o socialismo no Brasil e ponto, tomar o poder, contem a história que quiserem. Agora, querem ficar no poder simplesmente.

E suas práticas nos levam ao PCC. Há quem diga que foram esses mesmos agora senhores que organizaram seções de criminosos em sistemas assemelhados a "comunas". E há mais ainda: consta que o PCC controla o serviço de ônibus em algumas fatias da capital paulista. Controla naquela base, gatilho e mandonismo. 

Pois parece que PT e PCC já formam uma “cultura” no modo de agir baseados nesse jogo de cumplicidades venais. É preciso cuidado, pois o termo “cultura” é ao mesmo tempo um disfarce e uma armadilha. Não existe “cultura do mensalão”, “cultura do anonimato”. Nada disso. Mesmo que uma sociedade inteira se alimente de bolsa-miséria, isso ainda não é uma cultura. É um desarranjo, um jeitinho, um traço marcante a bordo de algo maior.

A informação de que o PCC armou esquemas para influenciar os julgamentos do STF, a mais alta corte de Justiça no Brasil, é forte demais para não arrebentar as vidraças dos palácios dos poderes estabelecidos, seja do Judiciário, do Executivo e do Legislativo.

E já não pode ser enquadrado como terrorismo o que faz o PCC? 

O que falta? E se o STF precisar julgar esses caras como guerrilheiros, haverá juízes colocados lá para votar a favor de embargos pró-PCC?

O jogo de cena visto e revisto vezes e vezes no julgamento e, sobretudo, nos modos de protelação do mensalão é evidente demais para não ser lembrado. Pior, parece ter servido de gabarito para se estabelecer novo patamar do crime organizado. Autonomamente? Sem nenhum sopro ao ouvido provindo das profundezas de quem pode “fazer o diabo” nas eleições?


E pelo jeito, como informa o blog do Josias, há gente graúda sabendo das coisas e de cara amarrada porque a Polícia anda atrás de dinheiro transferido de forma quadrilheira para a eleição de Lula em 2002 http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/10/13/mensalao-pf-tenta-rastrear-contas-no-exterior/

Não foi coincidência assim como não foi pelos 20 centavos.


Indícios não faltam, ou será que um juíz pró-mensaleiros não quer dizer nada? > O Supremo Tribunal Federal barrou a contratação de um assessor depois de ser alertado por promotores paulistas que ele era irmão de uma advogada de chefes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). A decisão de evitar a nomeação do profissional para um cargo de confiança no gabinete do ministro Ricardo Lewandowski foi tomada após alerta ao órgão feito pelo Ministério Público Estadual) > http://blogdomariofortes.blogspot.com.br/2013/10/lewandowski-ia-contratar-irmao-de.html

Comentários

Antonio disse…
Como sempre, seu texto é certeiro e esclarecedor. Me fez lembrar uma conversa entre amigos há alguns anos atrás : - olha, é bom considerar o Lula e o PT com algumas reservas... o homem não é bem visto entre alguns das suas hostes, não possui qualidades morais para governar esse país... veja o caso do Celso Daniel...
- Ora, ora, todos os outros montaram máfias, mataram e roubaram. Vamos votar nele prá ver no que dá. Se roubar, não tem nada não, os outros também roubaram. Operário não pode roubar ?