O efeito Tuma


O livro de ouro, do sindicato dos metalúrgicos de São Bernardo do Campo, gestão Lula, é ainda uma sombra num céu aparentemente azulado. Segundo o que se comentou na época, mais de 30 anos atrás, a empresa que pagasse (fizesse parte do livro de ouro) não enfrentaria problemas com greves.

O PT terá de acertar contas com a História, mais dia menos dia. Não terá como fugir. Assim como exumaram Jango e pensam pontificar sobre tudo o que ocorre no Brasil, as testemunhas do passado também tem o direito de exumarem os cadáveres que o PT foi deixando pelo caminho. E a soma de malfeitos petistas e dos partidos da base superfaturada já se alastra como tornado Brasil adentro.

Mas para todo movimento existe um efeito contrário. Ao tormento Lula segue-se o efeito Tuma. É como a ocorrência de um terremoto no fundo do oceano que, ao início, ninguém percebe. Mas a água vai girando, girando e de repente explode na superfície, tsunami devastador, incontrolável.


O livro "Assassinato de reputações", de Tuma Jr., é apenas um dos primeiros sinais da correnteza que vai ganhando corpo na superfície. 


O PT já brincou demais com a reputação dos outros. Ao mesmo tempo em que se mostrou descuidado com a própria reputação, como bem simboliza a frase do famigerado Carvalho com relação ao ano de 2014. Ele disse: "nas eleições nós vamos fazer o diabo". 

Nada eliminará do PT o codinome Mensalão. E codinome, por Júpiter!, era o território de ação de Romeu Tuma, pai. E se alguém conheceu os métodos de ação de Tuma pai, sabe que o estoque de reputações que podem ser assassinadas ainda está no princípio do alfabeto, precisamente o ponto em que começa o efeito Tuma.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Levantar a ponta do véu da saúde mostra que a noiva está sem calcinha

O complexo de Édipo na política brasileira

O que o PSDB precisa fazer para ser PSDB?