Quem ainda leva Padilha a sério?


Por Alberto Goldman



No evento de posse do presidente estadual do PT, no dia de ontem, Alexandre Padilha foi saudado pela plateia petista como o “futuro governador de São Paulo”. À parte o fato de que, como outros petistas, Lula, Dilma et caeterva ( vai em latim mesmo para não ofender), estar agredindo a lei eleitoral – como sói acontecer – Padilha atacou o PSDB, dizendo que quando os tucanos governaram simultaneamente o Brasil e o Estado, até 2002, a desigualdade social só aumentou, e que de 2000 até 2010, depois que começou o governo Lula, a desigualdade no Brasil despencou. Ainda mais disse que “os números aqui ( em SP ) não se mexeram. O que despencou mesmo foi a seriedade do agora candidato. Vamos mostrar.

Vejam o gráfico abaixo sobre a evolução do IDH brasileiro que mede a desigualdade social ( Fonte ONU ):





Como se vê, o IDH vinha crescendo de forma contínua até 2005, incluindo o período do governo FHC e a partir daí passou a ter um ritmo de crescimento menor sendo que, a partir de 2010, praticamente estagnou. De 1991 a 2000—— ( inclui 6 anos de FHC ) o IDH cresceu 24,1%. De 2000 a 2010 ( 2 anos de FHC e 8 anos de Lula ) cresceu 18,8%. Está perdendo fôlego.

Vamos agora aos dados do IPEA ( órgão federal ) disponíveis. De 1995 a 2008 –( 8 anos de FHC e 6 anos de Lula ), a pobreza absoluta no Brasil baixou de 43,4% da população para 28,8%. Em São Paulo ( governos Covas, Alckmin e Serra ) foi de 20,7% para 12,8% da população.

Quanto à distribuição de renda o índice Gini (quanto mais próximo de 1 a desigualdade é maior ) variou, no Brasil, entre 1995 e 2008 de 0,60 para O,54. Em São Paulo variou de 0,53 para 0,50.

Nos dois casos a desigualdade diminuiu.

Eis como Padilha começa a se mostrar. Ignorante ou mentiroso?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Levantar a ponta do véu da saúde mostra que a noiva está sem calcinha

O complexo de Édipo na política brasileira

O que o PSDB precisa fazer para ser PSDB?