Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2014

Outra promessa que era mentira desde o começo

No final de 2012, em Paris, Dilma Rousseff disse que o governo pretendia criar cerca de 800 aeroportos regionais no país. Segundo ela, pelo projeto, cada cidade com até 100 mil habitantes deveria ter um aeroporto a, no máximo, 60 quilômetros de distância. “É uma necessidade também importante para o crescimento do país”. Nunca mais falou nisso.

Agora ficamos sabendo que a Odebrecht vai receber U$ 360 milhões para reformar o aeroporto de Havana, em Cuba. Isso além dos R$ 1.6 bilhão que embolsou para construir o Porto de Mariel, que Dilma inaugura hoje, levando para lá uma comitiva de mais de 30 pessoas. Além disso, a ditadura assassina cubana recebe mais R$ 1,2 bilhão de reais por ano para comprar produtos brasileiros.

Fala sério. Nem os Estados Unidos tem 800 aeroportos regionais. Era mentira desde o começo.

20 anos do Plano Real

Por Gustavo Franco
publicado originalmente em O Globo



Na próxima sexta feira, dia 28 de fevereiro de 2014, quando começarem os trabalhos de carnaval, vamos festejar também os 20 anos da publicação da Medida Provisória nº 434, que introduziu a URV (Unidade Real de Valor), uma formidável inovação que assumiu a forma de segunda moeda nacional, porém apenas “virtual”, ou “para servir exclusivamente como padrão de valor monetário" (art. 1).

A URV era o real, desde o início. Em seu artigo 2º, a MP 434 já determinava que, quando a URV fosse emitida em forma de cédulas — e assim passasse a servir para pagamentos —, o cruzeiro real seria extinto e a URV teria seu nome mudado para real.

A inflação beirava os 40% mensais, mas, em vista do modo como foi construída, a URV (que Saulo Ramos, com verve e má vontade chamou de "feto de moeda") era uma "moeda estável", ou uma unidade de conta protegida da inflação, portanto, superior às outras em circulação ou em uso para indexar co…

PREPAREM-SE PARA O QUE VEM POR AÍ

Por Augusto de Franco

Notícias de hoje de manhã dão conta de que Viktor Yanukovytch, o títere ucraniano de Moscou, renunciou. É... foi uma revolução mesmo na Ucrânia, mas por enquanto apenas no sentido político de troca dos ocupantes do governo (espera-se, pois não se sabe bem como ficará a coisa). Não sei se eles vão mexer no padrão de relação Estado-sociedade. Acho que não.

E não estão resolvidos vários problemas ligados ao que é oposição lá (tem grupos de todo tipo, da chamada ultra-direita à anarquistas e esses grupos não são responsáveis pelo que aconteceu, mas agora serão responsáveis pela institucionalização do que aconteceu).

O clima não é de todo agradável. Há um profundo ressentimento social com o império soviético (desde o genocídio conhecido como Holodomor - a palavra significa "matar pela fome" - que, em 1932-1933, numa ação deliberada de extermínio dirigida pelo Partido Comunista, do tipo "limpeza-étnica", levou a mais de 3 milhões de mortes). E há…

A nossa parcela de responsabilidade

Há no mínimo uma contradição entre nós, no Brasil. Um "quadrante" da sociedade quer de volta os militares no poder, sem saber direito como foi a ditadura militar. Outro quadrante quer a autoridade máxima a qualquer custo, prefigurada em Joaquim Barbosa, que não é bobo, leu demais para saber aonde isso tudo vai dar. Outro quadrante, PT e associados, quer caminhar com bem-estar geral controlado pelo partido, movido por ações à direita e à esquerda, numa linha de capitalismo de estado com oportunismo geral e isenção para si mesmo e seus bandidos. Seja como for, os soldadinhos chineses são uma cara possível, e um general na Presidência é primo-irmão de soldados armados a serviço do poder. Teremos que caminhar na direção do voto facultativo e partidos políticos redefinidos pelo voto. Sem isso, não adianta juíz ou general. Dá tudo no mesmo e esse sempre foi o grande problema do Brasil.

Assim tropeça a humanidade

Por Dante Filho*

Em fevereiro do ano passado, no ato comemorativo dos 10 anos do PT no poder, militantes animadinhos espancaram uma jornalista da Folha de São Paulo, derrubando-a no chão com chutes na barriga e, aos berros e com os dedos em riste, chamaram-na de “prostituta da imprensa”.

O fato teve tratamento tímido na mídia. Repercussão quase zero. Mas ali estava configurada uma metodologia de relação das “esquerdas” com a “imprensa burguesa”. Desse jeito, passo a passo, num processo de reverberação espontânea, chegaria até os dias de hoje com o assassinato do cinegrafista da Band, Santiago Andrade.

Quem imagina que uma coisa que ocorreu no passado não tem relação com este trágico acontecimento recente não conhece a vida. A violência é um fenômeno que, quando não contido na origem, entra em fase de expansão contínua. Sem freios, não há limites. Na maioria das vezes a resposta deve ser entrópica, pela força de reação equivalente ou pela aplicação rigorosa da lei. Deixando tudo rolar – c…

Friboi vendendo produto falso?

Por Ossami Sakamori
@SakaSakamori

Esta matéria poderá parecer aula de culinária, mas não será. Trata-se dos produtos Friboi, amplamente anunciados em comerciais de TV pelo ator Tony Ramos, mas nada a ver com culinária. Trata-se de uma denúncia. O JBS/Friboi vem vendendo produtos falsos, aproveitando a ignorância do povo sobre o assunto. Eu mesmo sou vítima e testemunha ocular da denúncia.

E o que tem a ver que o JBS/Friboi está vendendo produto falso? Tem tudo a ver! O JBS/Friboi é um dos maiores tomadores de empréstimos do BNDES a juros subsidiados, isto é a 3,5% ao ano, enquanto o governo capta a 10,5% ao ano pelo Tesouro. Pela rápida conta que fiz os empréstimos do BNDES ao JBS/Friboi causa ao Tesouro, prejuízo de R$ 2 bilhões ao ano, pela equalização de juros. Por enquanto, ninguém está pagando a conta. Os números estão perdidos na complexidade do encontro de contas entre Tesouro e BNDES.

Meu raciocínio é o seguinte. Vocês me acompanhem. Se a empresa JBS/Friboi vende ao cons…

Sinais alarmantes

Por Fernando Henrique Cardoso

Finalmente fez-se justiça no caso do mensalão. Escrevo sem júbilo: é triste ver na cadeia gente que em outras épocas lutou com desprendimento. Estão presos ao lado de outros que se dedicaram a encher os bolsos ou a pagar suas campanhas à custa do dinheiro público.


Mais melancólico ainda é ver pessoas que outrora se jogavam por ideais – mesmo que controversos – erguerem os punhos como se vivessem uma situação revolucionária, no mesmo instante em que juram fidelidade à Constituição. Onde está a Revolução?


Gesticulam como se fossem Lenines que receberam dinheiro sujo, mas usaram-no para construir a "nova sociedade". Nada disso: apenas ajudaram a cimentar um bloco de forças que vive da mercantilização da política e do uso do Estado para perpetuar-se no poder. De pouco serve a encenação farsesca, a não ser para confortar quem a faz e enganar a seus seguidores mais crédulos.


Basta de tanto engodo. A condenação pelos crimes do mensalão se deu em plena vi…

Coisa estranha

Levandouísque e Toffolino BomdeBico podem fazer o que quiserem. Mas quando Joaquim Barbosa faz o que tem de ser feito, vira manchete e o coreto fica cheio de fanfarrões, fanfarronices e comentários preconceituosos por ele ser negro.

Revista francesa mostra o Brasil e os brasileiros, sem dó

TENHA PACIÊNCIA, VALE A PENA LER TUDO...


A edição da revista FRANCE FOOTBALL esta semana veio com a capa toda negra, onde se lê “Peur sur le Mondial”, algo como: “Medo do Mundial”, sendo que a letra “O” da palavra “mondial” está a bandeira do Brasil, e onde deveria estar escrito “Ordem e Progresso”, foi colocada uma tarja negra. (foto ilustrativa)

No subtítulo diz: Atingido por uma crise econômica e social, o Brasil está longe de ser aquele paraíso imaginado pela FIFA para organizar uma Copa do Mundo, a menos de 5 meses do mundial, o Brasil virou uma terrível fonte de angústia.

A revista pode ser acessada no site: www.francefootball.com mas apenas se vê a capa, a reportagem, de 12 páginas, não está liberada no Brasil. (CENSURA!)

O que diz a revista:


POLÍTICA:


- A FIFA não pediu o Brasil para sediar a Copa, foi o Brasil que procurou a FIFA e fez a proposta.

- A corrupção no Brasil é endêmica, do povo ao governo.

- A burocracia é cultural, tudo precisa ser carimbado, gerando milhões para os Ca…

Erro de ministério limita o uso da energia do Madeira

Só para lembrar:
12/08/2013 às 00h00

Erro de ministério limita o uso da energia do Madeira

Um grave erro de planejamento do Ministério de Minas e Energia impedirá que parte da energia produzida até o fim do ano pelas duas usinas do rio Madeira, em Rondônia, seja escoada para o restante do país. Se toda a geração de Santo Antônio e de Jirau for transmitida para o sistema interligado nacional, há risco de queima das turbinas instaladas, o que causaria prejuízos gigantescos. Juntos, os dois empreendimentos estão orçados em quase R$ 30 bilhões. A restrição só será resolvida em dezembro, com a instalação de equipamentos que estavam fora do projeto original das usinas. Enquanto isso, a alternativa é limitar o escoamento a um nível muito inferior ao previsto.

Os sistemas de supervisão e controle dos equipamentos das usinas e do complexo de transmissão não são compatíveis. A falha foi detectada no fim de 2010, mas só em junho deste ano ela apareceu em um documento público: a ata do Comitê de Moni…

A arma eleitoral de Lula

Por Augusto de Franco

Publicado originalmente no perfil do Facebook de Augusto de Franco
O Mais Médicos é programa prioritário de Lula (não de Dilma). Foi articulado por ele. Ele sabe que três, dois ou até mesmo um (único) médico em uma cidade que nunca teve nenhum, contará com amplo apoio da população. Não é por acaso que em cidades pequenas (a imensa maioria das nossas cidades) um médico que se candidata a vereador ou prefeito tem grandes chances de ser eleito. Considerada a situação lamentável de nosso sistema de saúde, tudo faz sentido. Portanto, para Lula, o Mais Médicos é uma das suas principais armas eleitorais para 2014.

O que espanta é que para ter essa arma, Lula tenha conspirado com uma ditadura. Que tenha aceitado (senão proposto) que os médicos cubanos trabalhariam em regime semi-escravo, sem direito irrestrito de ir e vir no Brasil, sem poder questionar nada, sem poder receber quase 80% da remuneração paga pelo país, que são expropriados pelo governo dos ditadores Castro. C…

Um general para a Presidência da República?

Os brasileiros vão ter de decidir, uma hora dessas, se estamos mesmo a fim de experimentar um modelo de governo que, vindo do passado, represente algo novo, não exatamente moderno.

Seria lindo que os brasileiros pudessem se orgulhar gostosamente do país em que vivem. Mas isso, já disse o Marcola, é ilusão.

E o simples fato de citar um homem trancafiado e reconhecidamente líder da bandidagem já fala por si.

A Presidência da República deixou de ser um exemplo para o país, eis a dura verdade. E o PT está fazendo de tudo para que o Poder Judiciário também tome o caminho da vala, do esgoto, da quebrada nojenta onde vidas alquebradas alimentam a necessidade dos ratos.

Portanto, sonhar com um poder real na mão de um Poder oficial é fácil, necessário e perigoso. Até porque projetar num general a imagem ideal de presidente é um ato falho, psicanalítico, que reproduz indiretamente o tamanho da nossa fraqueza pessoal diante do todo.

O PT acalenta esse sonho também. Quer mais poder, cada vez…

Médico vira mercadoria no Brasil do PT

Não adianta vir com essa conversa fiada de que no capitalismo tudo é mercadoria. É sim, e daí. Carro é mercadoria. Gente é vida. O PT passou anos confundindo as pessoas. Agora, precisa pagar pelas enormes bandalheiras que acontecem hoje no Brasil.


http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/escrava-cubana-que-atuava-no-mais-medicos-do-candidato-padilha-deserta-e-perseguida-pela-pf-de-dilma-que-atua-a-servico-dos-irmaos-castro-e-pede-asilo-em-gabinete-de-caiado-deput/#.UvIqMeFL0J0.twitter

Quantas mortes esse governo já nos deve?

Leio sobre a morte da policial Alda Castilho.Vivemos no Brasil a ideologização do crime. Vem de um governo que faz vistas grossas e coloca a polícia como algoz. Que faz vistas grossas ao fato de que sem repressão o crime apenas aumenta. Que faz vistas grossas ao fato de que marginal idealizado é marginal copiado e multiplicado. Quantas mortes esse governo já nos deve?

Ninfomaníaca - Ou como viver com um corpo querendo ter mil corpos e nenhum pudor

Um Lars Von Trier com apenas 3 horas de duração. O filme está em cartaz em São Paulo. Saí do cinema meio lento, parando na primeira mesa para um chop ou um suco de batata com mel... Tanto faz. O filme começa e a tela fica em branco. Os mais apressados espectadores já começam a sacar o celular... Mas é um Von Trier, eles sempre esquecem disso. A tela está sem nada, mas há o som de algo que parece chuva, que parece pastoso, que parece deslizamento, primo-irmão do torpor...

E a história começa. Nela você verá Reich, Bach, Fibonacci, Freud, Jung. Nada ocorre ali por acaso, da volúpia sexual da moça que não provoca tesão mesmo nua, comida e recomida conforme os seu próprios caprichos pedem fornicação. E verá o sentido oculto de tudo, ganhando uma narração e perdendo a relação entre o comando do desejo e a frustração previsível da sua concretização.

E você verá a fragilidade dos homens, de todos os homens, mesmo daqueles que mostram seu pinto numa corrida louca por ser reconhecido como o gran…

Atenção você que adora voto nulo

Por Luciano Pires

Voto nulo anula eleição?

Desculpe se o que vai a seguir é óbvio. Mas é necessário.

Ano de eleição, começam outra vez os movimentos para votar nulo, pois “mais de 50% de votos nulos anulam a eleição”. Toda vez é igual, mas isso não é verdade. Vamos ver, começando pelo Código Eleitoral, artigo 224 da Lei nº 4.737 de 15 de Julho de 1965:

“Art. 224. Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do país nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais ou do município nas eleições municipais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de 20 (vinte) a 40 (quarenta) dias.”

A confusão se dá pelo termo “nulidade” logo na abertura do parágrafo. A turma lê “nulidade” e acha que é o mesmo que “voto nulo”. Não é. Vamos ver o que diz a regulamentação daquele artigo:

“3. Para fins de aplicação do art. 224 do Código Eleitoral, não se somam aos votos anulados em decorrência da prática de captação ilícita …