Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2014

A pérola do ministro

"E não importa o Congresso derrubar o decreto da presidente porque a participação popular vai continuar". Com Gilberto Carvalho é assim, ou dá ou desce.

Comissão dos desocupados está muito preocupada com o rancor dos outros

Comissão vai arrumar o que fazer rastreando a vida dos outros. Ficaremos com a tarefa de rastrear a comissão?

Temos paciência demais

Intelectuais de esquerda criam manifesto pedindo coerência de Dilma no segundo mandato. Mas houve isso no primeiro? Pior, esqueceram todo tipo de falcatrua ou isso é apenas normal por serem de esquerda mais do que festiva?

PT traz de volta ao Brasil a cultura do casuísmo que os militares inventaram

Imagem
Houve um tempo em que o PT criticava, dia e noite, os "casuísmos" democráticos. Começou com os militares e se alastrou no governo Sarney. Tudo era casuísmo. Hoje, o Brasil é a república do casuísmo. Exatamente o que o PT prometeu acabar.

Um petista falando de casuísmos

"Um exemplo nítido dos casuísmos “democráticos” é o das “medidas provisórias”(MP) estabelecidas pela Constituição de 1988. As “MP” foram concebidas,segundo se diz, seguindo exemplos italianos, para que o Executivo pudesse enfrentar situações de urgência e circunstâncias excepcionais. A ratificação (ou recusa) do Congresso viria depois. O que significa que as “MP”, mesmo atendido o espírito da lei que as criou, implicam, desde logo, um grave risco, pois sua ratificação (ou recusa) teria que vir quando suas iniciativas já estariam em execução".

Escrito, em 2009, por Francisco Weffort, um petista de carteirinha.

Congresso teme ser fechado de novo?

Mas não é justo criticar apenas Sarney pelos "casuísmos…

Cuide do seu ogro, ele pode fazer você morrer abraçado ao seu inimigo

Imagem
O filme Relatos selvagens, com Ricardo Darín (acima), joga um pouco de luz sobre a animalidade humana.

Não somos os santos que pretendemos ser. Também não somos trogloditas ensandecidos, inocentes impotentes presos pela animalidade que explica nossa origem. Mas entre um limite e outro, é preciso tomar cuidado: debaixo da nossa pele existe um ogro astuto e perigoso, sempre à espreita, pronto para transformar um copo d'água numa desgraça.

Em resumo, essas são as linhas profundas que o diretor argentino Damián Szifron reuniu no filme Relatos selvagens, lançado este ano no Festival Internacional de Cinema. Entre os atores, o aclamado Ricardo Darín.

São seis episódios de curta duração. Começam sempre de uma maneira neutra, como parece ser a vida nas grandes cidades. No primeiro deles, parece haver uma citação a um filme de Buñel, “O obscuro objeto do desejo”. A história até conversa com Freud, mas segue em direção oposta, e deixará você preocupado se decidir viajar de avião nos próximos …

Mentir, caluniar e executar. Especialidade dos partidos comunistas.

O PT os acendeu e fez crescer, provavelmente para fazer barragem de proteção. Já imaginaram Lula fugindo do Brasil? Onde iria morar? Na ilha privada de Fidel?
Para bom entendedor, meio vídeo deveria bastar. Será que no Brasil terão de aprender pela dor? Veremos.
Publicação by Rafael Stoll.

Urnas eletrônicas. Evidências demais. Imaginário popular fará o resto

Imagem
Agora, não precisam mais verificar as urnas eletrônicas. Não depende mais de investigação compulsória ou auditagem solidária. A realidade se ocupou de apresentar tantas e tantas evidências, que no imaginário popular já existe uma certeza: eleição fraudada, tenha sido fraudada ou não. 

O governo vermelho ganhou uma bandeira mas perdeu o palco para poder exibi-la. Terá coragem de vir a público defendendo legitimidade sem ter coragem de pô-la à prova. As "pegadas" abundam. Collor dirá: o tempo é o senhor da razão.
Mesmo que o TSE não queira, terá de mudar o sistema de votação em urnas eletrônicas. O processo não é seguro. Até a próxima eleição há muito tempo e se nada for feito os brasileiros terão todo o direito de iniciar um movimento pela anulação total de votos, ao lado do fim do voto obrigatório.

É burrice votar com a clara sensação de que o voto não revela uma realidade. Vejam:


Petismo e nazismo. Parecidos e preocupantes.

Salvador Nogueira

Eu não entendo por que tem gente que fica tão incomodada com a minha comparação entre o nazismo e o petismo. Não fui nem o primeiro, nem serei o último a traçar esse paralelo. O próprio Lula já esboçou esse paralelo entre petismo e nazismo antes de mim, ao declarar sua admiração pela obstinação de Hitler para chegar ao poder. Aliás, ele teve a mesma obstinação, ao disputar três eleições seguidas para presidente antes de ganhar a quarta.

E é desonestidade intelectual querer dizer que, para ter características nazistas, é preciso exterminar em massa alguma parcela da população. Acho que só oprimir e ridicularizar ("coxinha", alguém?) para obter o apoio e a união dos demais já basta.

O nazismo também era populista e assistencialista, como é o petismo.

O nazismo também chegou ao poder pela via democrática e aparelhou o estado.

O nazismo tinha ideologia forte e maniqueísta. E o PT, suposto partido dos pobres, tem viés ideológico e maniqueísta? "Nós contra eles&q…