PT traz de volta ao Brasil a cultura do casuísmo que os militares inventaram


Houve um tempo em que o PT criticava, dia e noite, os "casuísmos" democráticos. Começou com os militares e se alastrou no governo Sarney. Tudo era casuísmo. Hoje, o Brasil é a república do casuísmo. Exatamente o que o PT prometeu acabar.

Um petista falando de casuísmos


"Um exemplo nítido dos casuísmos “democráticos” é o das “medidas provisórias”(MP) estabelecidas pela Constituição de 1988. As “MP” foram concebidas,segundo se diz, seguindo exemplos italianos, para que o Executivo pudesse enfrentar situações de urgência e circunstâncias excepcionais. A ratificação (ou recusa) do Congresso viria depois. O que significa que as “MP”, mesmo atendido o espírito da lei que as criou, implicam, desde logo, um grave risco, pois sua ratificação (ou recusa) teria que vir quando suas iniciativas já estariam em execução".

Escrito, em 2009, por Francisco Weffort, um petista de carteirinha.

Congresso teme ser fechado de novo?

Mas não é justo criticar apenas Sarney pelos "casuísmos democráticos". Estes começaram ainda no início do regime militar, em 1965, com a imposição do bipartidarismo, Arena e MDB. Quando o Congresso rejeitou certas medidas propostas, em 1977, os militares simplesmente fecharam o Congresso.

E disso resultaram novos casuísmos, como a figura dos senadores biônicos. Será que, hoje, o Congresso teme ser fechado de novo e por isso está pronto a aprovar a alteração, em cima do joelho, das medidas que livram Dilma e o PT do crime de irresponsabilidade fiscal?

Democracia delegativa, democracia majoritária, democracia conjuntural, democracia tutelada. Quando a palavra democracia precisa de tantos adjetivos pode estar faltando simplesmente um pouco mais de vergonha na cara de quem a faz.


Comentários