Para 2016, PT já monta estratégia para vencer onde tem 80% de rejeição

23 de fevereiro de 2015

Por Lucas Tchermenko

É isso mesmo, o PT tem 80% de rejeição em Osasco mas já Para 2016, PT já monta estratégia para vencer em outubro do ano que vem. 


As velhas raposas felpudas parecem ser as grandes escolas políticas em Osasco. Você não verá pelas ruas um Carlos Lacerda, um Juscelino Kubitschek. Mas o cidadão atento ouvirá pelo caminho até as urnas certos comentários sobre um esquema que o PT vem montando para burlar a intenção de votos para 2016.

Os primeiros passos já foram dados. E o eleitor que se apresse, terá de enxergar o caminho debaixo de forte neblina.

Trata-se de um esquema que visa levar para o segundo turno da eleição municipal uma disputa entre PT e PT. Dessa forma, o eleitor não teria opção, ou vota no PT ou vota no PT.

Como isso será feito é relativamente simples: O PT conhecido, carimbado e vencido todo mundo conhece. Tem sobre si imagens de corrupção, do mensalão ao petrolão e sabe Deus mais o quê. Esta face do PT lançaria um candidato típico, nos moldes daquilo que a militância vende como sendo o PT. Só para dividir os votos.

Já o outro PT se valerá de uma invenção dos militares: as sublegendas. Para lembrar, as sublegendas foram criadas para abrigar os políticos em apenas dois partidos, Arena e MDB, logo após o primeiro golpe militar de 1964.

Agora, as sublegendas são as legendas de aluguel, um nome feio trocado para base de apoio, que não servem para muita coisa a não ser promover a mesma espécie de acomodação que os militares sentiram necessidade de fazer.

Não importa o nome do partido, onde estiver o nome do atual prefeito de Osasco estará o PT e seu vice será indicado pelo PT.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Levantar a ponta do véu da saúde mostra que a noiva está sem calcinha

O complexo de Édipo na política brasileira

O que o PSDB precisa fazer para ser PSDB?